Marcas de moda que estão arrecadando fundos para salvar a Ucrânia

Que tal ficar por dentro das marcas de moda que estão arrecadando fundos para salvar a Ucrânia?

Bom, como o início da invasão russa aconteceu na mesma semana dos desfiles de moda da Europa, algumas marcas optaram por protestar contra a guerra, como uma forma de apoio à Ucrânia. Por isso, muitas delas, passaram a adotar posições significativas…

Mas, em contrapartida… No dia 24 de fevereiro, por exemplo, a Moschino e a Prada desfilaram em Milão, enquanto as tropas russas adentravam pela fronteira ucraniana.

Enfim, sem mais delongas. Agora você vai descobrir as marcas de moda que estão arrecadando fundos para salvar a Ucrânia.

VEM COMIGO!

Marcas de moda que estão arrecadando fundos para salvar a Ucrânia
Foto: Getty Images / Peter White

Balenciaga

Como foi visto em um dos mais recentes desfiles da grife, Demna Gvasalia se manifestou contra à guerra ao trazer em sua passarela, looks inspirados nos refugiados.

Pois é. Ele fez uma viagem ao seu passado, quando há 30 anos teve que deixar sua casa por conta do confronto entre a Rússia e a Geórgia. 🥀 🥀

Sendo assim, em busca de ajudar a Ucrânia, o estilista realinhou a Balenciaga com a Un World Food para arrecadar doações de alimentos. Além disso, a grife também se comprometeu a postar em suas redes sociais tudo sobre a situação do país.

Post blog: Marcas de moda que estão arrecadando fundos para salvar a Ucrânia
Anúncios

LVMH

A empresa que controla grandes marcas de moda como a Louis Vuitton, a Dior e a Loewe, realizou uma doação de 5 milhões de euros ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha.

Marcas de moda que estão arrecadando fundos para salvar a Ucrânia

A Louis Vuitton (que é a maior marca da LVMH) até fez uma postagem no Instagram afirmando que estava tocada pela tragédia na Ucrânia e se comprometeu a doar 1 milhão de euros para os refugiados.

Mas… Apesar do investimento, a postagem na rede social gerou pencas de comentários negativos. Por exemplo: “Fechem suas lojas na Rússia, se vocês estão falando sério” e “Parem agora de vender na Rússia”. 😬 😬

Hoje, a LVMH possui cerca de 70 marcas, como a Moët & Chandon e a Christian Dior, onde ao todo, 3.500 funcionários operam na Rússia.

Jacquemus

Sem gerar polêmicas, nem falsas expectativas nas redes sociais, a grife Jacquemus se uniu à organização francesa de apoio aos refugiados, a I’Agence des Nations.

Post blog: Marcas de moda que estão arrecadando fundos para salvar a Ucrânia
Anúncios

Hermès

Apesar da Hermès ter sido a primeira marca de moda de luxo a fechar suas lojas russas em reposta à guerras… Ela não anunciou publicamente os fechamentos, muito menos o valor de suas doações.

Vitrine da loja Hermès em Moscou, na Rússia – Foto: Reprodução / Pinterest

Chanel

A Chanel foi mais uma marca que decidiu fechar suas lojas e suspender as atividades na Rússia.

Em um comunicado, a grife afirmou: “Não entregaremos mais na Rússia, fecharemos nossas boutiques e já suspendemos nossos ecommerce.”

No entanto… A Chanel foi bombardeada nas redes sociais depois de chamar a invasão da Ucrânia de “conflito” e dizer que doaria 2 milhões de euros para organizações de ajuda aos refugiados que operam nas fronteiras da Ucrânia.

Os seguidores da marca (que emprega mais de 300 pessoas na Rússia através de suas boutiques) exigiram que ela parasse de vender por lá.

Gucci

Assim que a Gucci anunciou sua doação de 500 mil euros ao ACNUR, logo em seguida a grife também se associou à mesma agência de refugiados das nações.

Prada

A Prada foi mais uma das marcas de moda de luxo que realizaram doações (não relevadas) à ACNUR.

Acne Stúdios

Enquanto isso, a Acne Studios lançou uma coleção que anunciava suas doações conjuntas para o UNICEF e o ACNUR.

Armani

Já o Grupo Armani fez uma doação de 500 mil euros ao ACNUR e doou roupas para os refugiados por meio da Comunità di Sant’Egidio.

Aliás, o desfile mais recente de Giorgio Armani contou apenas com o som dos sapatos e dos aplausos ecoando na passarela.

“Minha decisão de não usar nenhuma música foi tomada como um sinal de respeito às pessoas envolvidas na tragédia que se desenrola na Ucrânia”

Publicou o estilista via Twitter
Anúncios

Confira outros grandes grupos que também se posicionaram contra o país liderado por Vladimir Putin

Assim como as marcas que citei mais acima, a Nike, a Asos e a Boohoo também anunciaram que não iam mais vender seus itens na Rússia temporariamente. O mesmo aconteceu com a Burberry, a H&M e a Asos!

A Burberry, a Puma e o Grupo H&M, além de terem cancelado as vendas no país, não farão mais entregas internacionais no território.

“O Grupo H&M decidiu pausar temporariamente todas as vendas na Rússia. As lojas na Ucrânia já foram temporariamente fechadas devido à segurança de clientes e colegas.”

Publicou a sueca H&M em comunicado

Mas… Apesar da guerra, a indústria da moda possui um alto investimento na Rússia. Onde cerca de 1,34 bilhões de euros são provenientes dos artigos de luxo que são vendidos anualmente no país.

Vale lembrar também que durante a semana de moda de Milão, o presidente da Câmara Nacional de Moda Italiana (Carlo Capasa) afirmou que o mundo está vivendo uma situação dramática: “Decidimos não parar os desfiles de moda a fim de respeitar os 1,2 milhões de pessoas que trabalham em nossa indústria todos os dias”.

Marcas brasileiras que estão ajudando a Ucrânia 🇧🇷

Ok… Agora que você já conhece algumas marcas de moda que estão arrecadando fundos para salvar a Ucrânia, deve estar se perguntando, onde estão as marcas nacionais que se importam com o povo da Ucrânia, né?!

Então, se souber alguma marca brasileira que esteja engajando com essa situação, você me avisa? 😅 😅 Porque eu desconheço qualquer tipo de ação das marcas nacionais mais relevantes.

Como apoiar o povo da Ucrânia?

Foto: Reprodução / Expresso

Toda tristeza começou depois que Vladimir Putin ordenou a invasão da Ucrânia. De imediato, a ofensiva do exército russo fez rápidos avanços e conquistas territoriais e em menos de um dia, mais de 100 mil ucranianos abandonaram suas casas. 😣 😣

Daí, por conta da falta de um porto seguro, a grande maioria procurou abrigo, por exemplo, em estações de metrô – como já vem acontecendo em Kharkiv e Kiev.

Pois é. O mundo está passando por uma crise humanitária e qualquer ajuda é bem-vinda. Por isso, listei abaixo 5 instituições que estão apoiando o povo ucraniano. Por favor, ajude também!

COME BACK ALIVE

Com sede em Kiev, essa instituição está arrecadando fundos para os militares da Ucrânia com o objetivo de garantir que os soldados e voluntários tenham suprimentos para resistir à invasão russa.

Clique aqui para contribuir! 🆘


ARMY SOS

“Está pronto para ajudar o exército ucraniano hoje? Amanhã pode ser tarde demais!” – essa é a nota de iniciativa da Army SOS que tem o objetivo de conseguir munições, escudos e alimentos para os soldados ucranianos.

Clique aqui para contribuir! 🆘


UNITED HELP UKRAINE

Essa instituição está trabalhando para fornecer kits de primeiros socorros individuais e outros suprimentos médicos de emergência para a linha de frente.

Além disso, ela também coopera com outras organizações para chegar ajuda humanitária à civis diretamente afetados.

Clique aqui para contribuir! 🆘


SUNFLOWER OF PEACE

É uma recolha de fundos que fornece mochilas médicas de primeiros socorros para paramédicos e médicos na linha de frente.

Cada mochila tem a capacidade de salvar até 10 vidas, entre os soldados ucranianos, civis, voluntários e crianças.

“Por favor, doe qualquer valor: grande ou pequeno, tudo faz uma enorme diferença”

Via página da Sunflower Of Peace no Facebook

Clique aqui para contribuir! 🆘


REVIVED SOLDIERS UKRAINE

Por último, mas não menos importante… Essa organização sem fins lucrativos, se dedica a prestar apoio ao povo da Ucrânia para garantir direitos e liberdades fundamentais. Por exemplo: direito à vida e a cuidados médicos apropriados e acessíveis.

Clique aqui para contribuir! 🆘


Anúncios

Considerações finais

Em tempos de crise, é importante ressaltar o poder que a indústria da moda tem em relação à cultura, economia e política do mundo. Aqui no Brasil, por exemplo, nossas cadeias de suprimentos conectam países de todas as partes do nosso planeta.

E como sempre costumo falar: a moda está em absolutamente TUDO! Seja através da mídia e da massa de seguidores de todos os lugares, ou através da nossa linguagem hiper criativa.

Sim! A indústria da moda é repleta de talentos, habilidades, redes e conexões que podem melhorar a vida das pessoas. Por isso, aonde quer que você esteja hoje, não feche os olhos para o que está acontecendo.

Aliás, uma das mais recentes iniciativas dos membros da indústria da moda, aconteceu através de uma manifesto contra a guerra que foi assinado por cerca de 1.500 apoiadores, entre estilistas, fotógrafos e editores de revistas.

Foto: Reprodução / Instagram: @valerakomarova

Resumidamente, o manifesto nos alerta sobre o poder que a moda tem. Ela é uma indústria de trilhões de dólares, e como já falei anteriormente: ela possui uma enorme influência cultural, econômica e política.

Mas, tem muita gente que ainda descarta esse poder. Infelizmente, a maioria das pessoas preferem focar somente na parte supérflua, hipócrita e fútil da moda.

Por isso, quero finalizo este conteúdo com uma das frases que eu mais costumo comentar por aqui: moda não é só sobre os looks do dia!

Deixe uma resposta

POSTAGENS RECENTES