Quarto dia do SPFW N53: confira os destaques dos desfiles de sexta-feira

Nessa sexta-feira (dia 3) aconteceu o quarto e penúltimo dia do SPFW N53 com muitas tendências e inspirações que refletem à cultura do Brasil.

A marca Vitor da Justa abriu o dia com a super apresentação digital do fashion film. Mas, além disso, o penúltimo dia do evento contou com as apresentações presenciais das marcas Lino Villaventura, Martins, Silvério, Walério Araújo e João Pimenta.

Já as marcas Gloria Coelho, Aluf, Wilson Ranieri, Thear e Handred, apresentaram suas coleções de forma digital. Vem comigo para ficar por dentro dos principais destaques!

A marca Victor da Justa abriu os desfiles do quarto dia do SPFW N53

A estética andrógina da marca apresentou seu fashion film com a coleção “Toma-te Brasilis”. Sendo assim, o estilista revisitou o manifesto Antropofágico de Oswald para se inspirar e incentivar a valorização e o respeito de consumo da cultura brasileira.

A marca, que é amante do Brasil, levou o nome da coleção (Toma-te Brasilis) ao pé da letra ao adicionar o tomate como o principal elemento de suas peças. Pois é… A referência surgiu como uma forma de homenagear o momento histórico em que Oswald contratou pessoas para jogarem o futuro nele enquanto lias seus poemas. 🍅

O tom melancólico e o visual repleto de conceito brincaram com o movimento e com os elementos tradicionais da cultura que está enraizada no Brasil. As estampas trabalhadas em mosaicos e tramas, lembram os típicos tapetes de sobras de tiras de tecidos – comuns na maioria das casas do nosso país.

A genialidade da coleção inspirou as modelagens modernas, as linhas simples e a visão criativa da nossa cultura.

Anúncios

A Silvério também marcou presença no quarto dia do SPFW N53

O desfile da Silvério começou com um look all black e uma maxi bolsa – que, aliás, está super em alta!

Ainda assim, os modelos seguiram a proposta vestindo outfits 100% pretos durante quase toda a apresentação. Outro grande destaque foram as sandálias com meias – que são polêmicas entre os amantes do universo da moda.

E para fugir do all black, a marca surgiu com peças em tons de vermelho, laranja, amarelo, rosa e azul entre as combinações de blazers de alfaiataria com shorts mais fluidos.

O comprimento midi também chamou a atenção do público neste desfile que, ao ser combinado com saias justas, resultou numa aparência super elegante.

Por fim, o ex-BBB Pedro Scooby e a artista Bianca Dellafancy deram um show à parte ao subirem na passarela do SPFW!

Anúncios

Aluf

Romântica, intimista e aconchegante, a coleção da Aluf teve sua apresentação exibida em formato de fashion film. Com origem paraense e raízes cariocas, a marca levou para a edição 53 da Semana de Moda de São Paulo muito mais que looks…

A apresentação digital restabeleceu nossa conexão com a natureza e nos instigou a viver de forma cada vez mais saudável e consciente. Por isso, todos os tecidos são naturais e sustentáveis.

As linhas arredondadas, as formas suaves, os elementos femininos e românticos (por exemplo: mangas bufantes e golas Peter Pan) deram o tom da coleção com um toque vintage bem estiloso.

Enquanto os volumes das modelagens, as texturas e as cores claras deram um charme a mais às peças.

Anúncios
Anúncios

Martins

A coleção da Martins coube como uma luva para a primavera e o verão. Afinal, as peças são bem alegres, coloridas e podem ser usadas quando o clima tiver quente – porque são bem fluidas e contam com o caimento oversized.

Além de divertida, as peças da coleção da marca contou com itens metalizados para não se prender a um só tipo de estilo. Ou seja, os looks são bem variados, entre t-shirts, roupas de banho, vestidos e camisas.

As peças com babados, franjas de miçangas, plumas e paetês finalizaram o desfile dando muito mais movimento a coleção.

Thear Vestuário: marca estreante do SPFW

Inspirada na vida e nas obras de Antônio Poteiro, as cores da nova coleção da Thear transitaram entre os tons terrosos do barro e da cerâmica, e as cores vibrantes das pinturas.

A coleção recebeu o nome de “Jardim de Poteiro” para convidar o público a se reconectar com o Verdadeiro Ser, mesmo com as nossas diferenças e peculiaridades – como diz Theo Alexandre, diretor criativo da marca.

Sem contar que, por trás das peças, estão as informações de uma moda mais consciente e responsável pelos seus próprios impactos em busca do equilíbrio do criar com a responsabilidade e o respeito ao meio ambiente.

Para trazer os limites entre a imagem e a realidade, a Thear usou o tradicionalismo dos bordados cornely, do crochê, tear, camadas e transparência. Em contrapartida, a releitura do harness trouxe o ajuste das silhuetas e nuances que fazem referência ao profano.

Thear Vestuário SPFW N53 – Foto via Instagram
Anúncios

Wilson Ranieri: mais uma marca veterana na edição 53 da Semana de Moda de São Paulo

A marca fez sua estréia com o lançamento da nova coleção apresentada por um fashion film repleto de constrastes.

As cenas do desfile remontaram o processo criativo do estilista a partir de suas técnicas de moulage e de seu trabalho como alfaiate. Sendo assim, as peças apresentaram muito movimento – desde a parte do caimento até às linhas de composição do design.

A sensibilidade e intensidade do show ficaram por conta dos toques de fetichismo e da sutileza do streetwear – que trouxeram um ar de contemporaneidade.

Uma das partes mais interesses, com certeza, foram as cores que brincaram com o olhar do público – que se encantou com as peças em tons neutros, para logo em seguida se deparar com cores mais fortes e vivas, como o vermelho e o rosa.

Deixe uma resposta