Copenhagen Fashion Week 23: confira os principais destaques

Matéria da Vogue Itália

A Copenhagen Fashion Week 23 acaba de terminar, entre alegria, diversão e um grande desejo de ser você mesmo!

Na CPHFW Primavera / Verão 2023, o encerramento dos dois últimos shows, GANNI e ROTATE, selou exatamente aquela sensação de leveza e diversão que paira na capital dinamarquesa. Sendo assim, em Copenhagen, algumas palavras-chave como inclusão, sustentabilidade e vitalidade, criaram uma atmosfera de celebração e união que não existe em nenhum outro lugar no mundo da moda.

A quinta capital do microcosmo da moda elege assim a liberdade de ser você mesmo(a) como valor fundamental! Pois é… E isso ainda se multiplica entre as passarelas, ruas e diferentes aspectos. Se por um lado, estão as mais diversas fisicalidades que encontram espaço dentro dos desfiles de moda, por outro lado existe a liberdade de se expressar através da moda de uma forma extremamente pessoal, acima das tendências e para além do minimalismo escandinavo que todos estamos habituados a pensar.

Ganni

O píer ao pôr do sol coberto de desenhos e escritas de giz colorido do desfile de moda Primavera / Verão 2023 da Ganni é certamente a maior prova da campeã de BMX Malene Kejlstrup Sørensen que abriu o desfile com um look total da marca. É por isso que a partir do título do desfile, Joyride, já fica fácil de entender como a diversão é parte integrante do DNA da marca – que inevitavelmente recai sobre as roupas. Então aqui estão cores vivas e formas divertidas, jeans tie-dye e estampas que se misturam para criar padrões contemporâneos. O show reuniu um público muito rico, incluindo Emma Chamberlain.

Samsøe Samsøe

Samsøe Samsøe, por outro lado, começou com um primeiro look todo branco contra o fundo cor de rosa choque em que o desfile aconteceu – repleto de looks para mulheres e homens, e ideias muito úteis para a próxima temporada de verão. Na diversão da coleção Gone Fishing é encontrada a tendência da saia por cima da calça, ou seja, uma peça que desce nas pernas como uma saia por cima de uma calça, para criar um jogo de camadas frescas e contemporâneas. Há outros looks que também são muito divertidos, por exemplo, com glitter brilhante e florais.



Wood Wood

Em outra área próxima à água, foi encenado o desfile Wood Wood, ao longo de uma ponte que atravessava a cidade de lado a lado. Por isso, a coleção Escape to Paradise reúne o ponto de vista pessoal da marca sobre as roupas e sua função, trazendo à tona a importância do conforto e da usabilidade, para que possam acompanhar o usuário de manhã à noite.

E para comemorar o 20º aniversário, a marca apresentou sua nova chefe de design (Cecilie Liv Mortensen) pela primeira vez na passarela logo no final do desfile ao lado do cofundador Brian SS Jensen.

Aeron

Com a intenção de relançar a marca numa chave de malhas de luxo sustentável, no Frits Hansen Sustainable Pavilion do Danish Design Museum, a Aeron desenha o novo caminho que o minimalismo escandinavo vai conquistar com o desfile ZERO. O casting também amplifica a força dos looks num diálogo envolvente que dá uma nova vida à marca. Já os materiais são eco-sustentáveis ​​e naturalmente biodegradáveis, acompanhados de uma coleção de joias em latão amarelo reciclado.

Anúncios
Anúncios

Rotate

O desfile que fecha o calendário oficial da Copenhagen Fashion Week 23 fez o publico se sentir numa discoteca, entre estrobosfera e músicas dançantes. Então, a Rotate surgiu para lembrar que a diversão não é desprezível, depois de uma série de looks glamourosos típicos do DNA da marca e fechando com uma série de modelos dançando junto com as fundadoras, todas em um look total vermelho fogo.

As melhores marcas emergentes que desfilaram na Copenhagen Fashion Week 23

Mark Kenly Domino Tan conquista com o branco puro que traz para o desfile – que aconteceu dentro de uma igreja em Nikolaj Plads. Os tecidos e cores neutras desenhados com a precisão do origami falam do artesanato do designer, além de todas as estações e tendências. Aliás… Dentro da mesma igreja, o desfile de moda A. Roege Hove tomou forma através das cores e criações refinadas com volumes que tomam conta dos corpos para criar novas formas de malhas contemporâneas.

Jade Cropper continua desde a temporada passada contando uma narrativa muito precisa e reconhecível, é como uma mistura que ecoa entre os espaços berlinenses e a rara sensualidade, os corpos se misturam com as roupas e o logotipo do estilista é empurrado sobre a pele e o cabelo de quem a usa. Por fim, como a modelo Alva Claire pôde contar com sua collab, a OpéraSPORT oferece à posteridade de novos looks modernos e extremamente usáveis, inspirados nas esculturas que adornam Paris e Copenhaguen – cidades natais dos fundadores da marca emergente, cujo desfile é é de fato realizada na Royal Cast Collection.

Deixe uma resposta

VEJA TAMBÉM