domingo, janeiro 23

A MODA PREJUDICA SUAS REDES SOCIAIS

Quer saber como a moda prejudica suas redes sociais? É só observar o que a maioria dos influenciadores estão fazendo nesse momento.

Vamos lá…

Se você chegou até aqui, provavelmente, é porque você se preocupa com suas redes sociais, certo? Até porque, hoje em dia, a moda consiste em, basicamente, aumentar os números das nossas vidas online.

Sim, estamos cada vez mais apegados a alimentar nossas redes e, até quem diz não se importar, no fundo, gostaria de já estar vivenciando o “status” que a fama pode proporcionar…

É como uma obsessão. Pessoas de todas as idades, lugares e classes sociais querem se tornar influenciadores digitais à todo e qualquer custo.

A vontade é tanta que, às vezes, não conseguem entender que não existe receita de bolo. O que serve pra mim, pode não servir pra você.

Ainda assim, acredito que qualquer pessoa pode trabalhar e contribuir com a internet.

Busque se inspirar ao invés de se comparar, busque alinhamento com seu propósito, não se perca entre o mundo real e irreal e, obviamente, entenda como cada plataforma funciona.

A MODA PREJUDICA SUAS REDES SOCIAIS
“A personalidade começa onde a comparação termina.” – Karl Lagerfeld

Redes sociais & saúde mental

Como se não bastasse todos os estudos que já comprovaram os malefícios que as redes sociais causam na nossa saúde mental…

Em outubro deste ano, Frances Haugen (ex-funcionária do Facebook) alegou no Senado dos Estados Unidos que: “Só o Facebook sabe como personaliza seu feed. Esconde-o atrás de paredes que mantêm os olhos de pesquisadores e reguladores afastados para impedi-los de entender a verdadeira dinâmica do sistema”.

Além disso, a ex-gerente de produtos do Facebook disse que a rede ameaça a saúde mental das crianças, põe o lucro acima da segurança dos usuários e enfraquece a democracia.

Achei coerente, mas, não fiquei surpreso. Afinal de contas, é surpreendente a quantidade de pessoas que estão sendo afetadas pelo algoritmo.

Honestamente, vários conteúdos, na realidade, não passam de um surto coletivo.

Desculpa, mas, não tem como falar desse tema sem lembrar do meme que viralizou em agosto deste ano: “e fora do story, você tá bem?” 😂🤛

Me:

Twitter/Reprodução

Brincadeiras à parte… Sim, a “moda” prejudica suas redes sociais!

Muito se fala de saúde mental, mas, nem todo mundo se preocupa, de fato, em ter empatia pelo coleguinha.

Por exemplo: nessa minha transição (a qual deixei minha marca de roupas no passado para me dedicar exclusivamente aos conteúdos aqui do blog) muita gente abriu mão. Perdi uma porrada de seguidores e continuo perdendo.

Não que eu já não soubesse que isso poderia acontecer, mas…

Você já parou pra notar o quanto as pessoas só estão “com você” de acordo com as necessidades que elas projetam? É assim desde a vida real até a internet.

Porém, o mais legal de tudo isso é poder contar com as pessoas que eu sempre senti que estariam comigo independente da fase. Enquanto outros, estavam ali no instagram só enquanto eu servia aquele tipo de conteúdo mais sazonal.

Ainda que eu seja mais reservado, você não imagina o quanto era esquisito ter que me forçar a criar certos conteúdos que, hoje, posso dizer que não me faziam tão bem assim…

Lembra do que falei mais acima sobre a receita do bolo?

Pois é, isso também se aplicou à mim para que hoje eu pudesse estar aqui desabafando numa boa com você do jeito que eu mais gosto: escrevendo.

“Apesar de +700 bilhões de pessoas espalhadas pelo mundo, estamos todos conectados de alguma maneira. É com esse pensamento que eu me fortaleço e encontro outras pessoas com gostos e desejos parecidos com os meus.”

Mas, nem tudo são flores…

Segundo um artigo da The Atlantic, é por conta da quantidade de horas excessivas dedicas às atualizações das redes sociais que o número de pessoas com ansiedade e depressão só aumenta.

Desde que a dosagem seja feita na medida certa, o uso moderado e consciente ao atualizar nossas vidas online, em si, não apresentam perigo à saúde mental.

Isso inclui, por exemplo, aquelas atividades de monitoramento (stalker) à vida de pessoas que não gostamos (ou que gostamos até demais).

A forma como a gente lida com as nossas emoções na vida real, claramente, reflete no que estamos fazendo no mundo cibernético.

É o caso da falta de controle dos ciúmes, desavenças, necessidade de auto afirmação e a mais cruel de todas: a exposição exagerada e desnecessária da vida pessoal.

Foi exatamente por esse motivo que eu também deixei aqui registrado aquele lance de buscar nosso propósito, etc.

Moda & redes sociais

Lembra o que o Instagram fez lá em 2019?

A maior rede social de fotografias do mundo parecia estar ressignificando sua moda quando decidiu removeu o número de likes dos posts…

Mesmo que as pessoas tivessem dando muita bola pra quantidade de números, não foi a remoção dos likes no Instagram que mudou esse fato.

As pessoas continuam se comparando, competindo umas com as outras e, mais do que nunca, valorizando ostentações.

E não termina por aqui, estudos comprovam que muita gente está adoecendo ao achar que está perdendo algo quando se compara à vidas mais “agitadas”.

Segundo minha psicologa, é alarmante a quantidade de relatos de pessoas que passam a vida se questionando sobre o que há de errado com elas, quando na verdade só estão focadas em se comparar com realidades virtuais.

A “moda” prejudica suas redes sociais através de impasses emocionais que persistem no mundo real. Tais como:

  • ansiedade;
  • pressão psicológica;
  • sensação de isolamento;
  • pânico de estar perdendo algo;
  • busca descontrolada pela perfeição;
  • sedentarismo;
  • obsessão com o corpo;
  • distúrbios alimentares;
  • raiva, agressividade, depressão e até suicíd**.

Os perfis nas redes sociais são criados para fins de entretenimento, informação e descontração, mas, NUNCA para roubar nosso tempo e sanidade.

Anúncios

Se você está sentindo que as redes sociais estão te sobrecarregando mais do que te ajudando, talvez seja o momento de você descansar e ressignificar alguns hábitos.

Quem sabe até buscar ajuda de um profissional…

E, mesmo que você trabalhe diretamente com a internet, sempre vale a pena buscar condições que promovam ainda mais conexão com você mesmo.

Experimente passar algumas horas (ou até mesmo dias) fora das redes sociais para conseguir realizar atividades na vida real que possam envolver o movimento do corpo e do cérebro.

Redes sociais não são reais

Após ver uma declaração de Willow Smith no Instagram, a modelo Bella Hadid fez uma publicação em forma de desabafo para falar sobre inseguranças e autoestima.

@bellahadid
@bellahadid

Meu coração realmente ficou partido. Pude me comover pela identificação de fazer parte de um grupo que passa diariamente pelo mesmo.

O desabafo, traduzido para o português, diz assim:

“< @willowsmith > Amo você e suas palavras. Isso me fez sentir um pouco menos sozinha e é por isso que eu gostaria de postar isto.

‘Essa sensação de pensar que você é bom o suficiente ou estar inseguro sobre sua arte – é natural – mas, ao mesmo tempo, sinto que foi ensinado.

Todos os humanos são diferentes, cada ser humano tem algo de especial e único para oferecer.

As pessoas esquecem que todos estão basicamente se sentindo da mesma maneira: perdidos, confusos, sem saber exatamente porque estão aqui.

Todo mundo está sentindo algum tipo de ansiedade e tentando encobrir de alguma forma.

Nós vamos nos unir com nossas falhas. Em nossas inseguranças, em nossa alegria, em nossa felicidade e aceitar tudo como belo e natural.’

Este é basicamente o meu dia a dia, todas as noites, agora, há uns anos.

A mídia social não é real. Para quem está lutando, lembre-se disso.

Às vezes, tudo que você precisa ouvir é que não está sozinho. Então, de mim para você, você não está sozinho.

Eu te amo, eu te vejo e te ouço.

Auto-ajuda e doenças mentais / desequilíbrio químico não são lineares e são quase como uma montanha russa de obstáculos… Tem seus altos e baixos, lado à lado.

Mas, o que eu quero que você saiba, é que sempre há uma luz no fim do túnel, e a montanha-russa sempre para por completo em algum ponto.

(Sempre há espaço para começar de novo, mas, para mim, sempre foi bom saber que mesmo que seja alguns dias, semanas ou meses, ele melhora, até certo ponto, mesmo por um momento.)

Levei muito tempo para colocar isso na minha mente, mas, já tive colapsos e esgotamentos suficientes para saber disso.

Se você trabalhar duro o suficiente consigo mesmo, passando um tempo sozinho para entender seus traumas, gatilhos, alegrias e rotina, você vai sempre ser capaz de compreender ou aprender mais sobre sua própria dor e como lidar com ela.

Que tudo é o que você pede de si mesmo.

De qualquer forma. Não sei por que, mas, parece cada vez mais difícil não compartilhar minha verdade aqui.

Obrigado por me receber e obrigado por ouvir. Eu amo você.”

Anúncios

Confira o post original:

Ainda tem duvidas de como a moda prejudica suas redes sociais?

Se preferir, você pode estar salvando esse post para ler no futuro ou até mesmo compartilhando com alguém que talvez só esteja precisando ler essas palavras nesse momento.

E não esqueça de contar comigo ❤️‍🩹
Pois aqui podemos inspirar, motivar e estimular uns aos outros.


1 Comment

Deixe uma resposta